Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

souselalentejo ( Alunos, Pais e Professores )

             Caros amigos:

            Tal como o prometido é devido, eis o texto que alguém muito espera pela promessa que fiz em escreve-lo.

            Não sou perito em educação. Não sou perito em métodos comportamentais nem tão pouco em metodologias educacionais, de forma a que possa com convicção dizer o  que é certo ou errado na forma como educamos os nossos filhos. Por isso desculpas haverão se porventura eu, estiver errado neste assunto cujo texto se centraliza. Mas há sempre algo que nos fica dos ensinamentos dos nossos pais cujos mesmos , alguns de nós fazemos dessa mesma aprendizagem uma bandeira. O saber estar, o saber falar, o saber agir no momento certo e hora certa. Saber que os mais velhos merecem todo mas todo o nosso respeito independentemente de estarem ou não certos ou errados. Em tempos que já lá vão, um simples olhar dos nossos pais, era sem margem de duvidas a repreenda necessária. E respeitavamos essa mesma repreenda. Era a educação. Fortuna herdada por mim e seguida com afinco tentando sempre faze-la crescer.

            Eu, ainda estou na fase de aprendizagem na educação que dou á minha filha. Acreditem que todos nós estamos. Quanto mais velhos  o tempo obriga-nos a ser, mais aprendemos quer queiramos quer não. Ainda me lembro de frequentar um certo estabelecimento comercial em Sousel, no tempo em que a minha filha tinha 1,2,3,4 e 5 anos e que eu não permitia que ela  gritasse, que andasse por cima dos sofás , que mexesse que corresse porque eu achava que ela  não estava no local certo para o fazer. Ainda me lembro de muitos e muitos casais que nesse mesmo estabelecimento comercial, deixavam os filhos correrem, espezinharem os sofás, gritarem, mexerem,  sem que uma única palavra de reprovação desses mesmos pais, sobressaísse. Faltava respeito.

            Quando somos confrontados com a questão de que na escola existem turmas cujos alguns alunos pelo aspecto comportamental, poderão por em risco a aprendizagem de todos os outros alunos, caros amigos não me espanta tais comentários. E não me indigna pelo facto de que quando via crianças a saltarem por cima dos sofás, que corriam  que gritavam em locais impróprios e que não eram chamadas á atenção pelos próprios pais e tudo era motivo de gracinha e risota , só podemos acreditar e aceitar como validas tais afirmações.

            Há pais que realmente sabem fazer prevalecer a sua voz autoritária, chamando á atenção e razão sobre o comportamento dos seus filhos, cujos mesmos aceitam e respeitam como devem respeitar. Mas também há o inverso onde infelizmente parece que os pais são os filhos e os filhos são os pais. Os filhos tratam os pais por TU  e os pais tratam os filhos por VOÇÊ pois nos dias que correm é IN.  Há que repensar toda esta problemática educacional, pois fazer todas as vontades, deixar fazer tudo o que os nossos filhos querem e bem lhes apetece, não é sinónimo algum de amor, mas sim de relaxe. Não tenham a menor duvida que mais tarde , serão essas mesmas crianças já adultas, a sofrerem por estes que eu considero erros cruciais na educação de pais sobre os filhos. Quando se diz que uma criança não mente, caros amigos, em 10 anos que trabalhei na Escola em Sousel, digo-vos que , as crianças mentem sim senhor. Há que ter em atenção que ninguém é dono da verdade, que ninguém nem mesmo as crianças, são donas e senhoras da verdade, os pais perante isto devem sempre mas sempre interrogarem-se sobre a veracidade do que elas dizem e sobre o que elas  contam. Educar uma criança nos dias de hoje é sem duvida alguma uma luta constante sobre o ser, sobre o estar e sobre a verdade e mentira. Crianças educadas que dizem o respectivo bom dia. Boa tarde e boa noite, que sabem estar e  conviver,  nos dias que correm poderão ser estas alvo de discriminação por parte dos colegas na escola e indubitavelmente  sentirem-se marginalizadas e desambientadas. Vejamos como exemplo:

            Uma criança que seja repreendida pelo professor e que num ápice repente responda á repreenda  é considerado pelo mesmo de…INTELIGENTE….. será? Uma criança que se silencia perante tal repreenda, NÃO É INTELIGENTE…será?

            Assisti uma vez a uma reunião ao qual me diziam que criança ( X) era mais inteligente que criança (y) porque era filha de professor, leva-me a dizer que confusos estão toda a comunidade educativa e pais  sobre a temática da inteligência. Até porque sabemos pela experiencia que vemos que, os mais educados, os mais formados , aqueles que conseguiram um "lugar ao sol", são sem margem de duvidas, filhos da simplicidade, da humildade e da pouca ou nada formação dos pais. Olhem para os que hoje têm lugares de destaque na nossa sociedade. Filhos da humildade e pobreza de outrora.   E quando se diz a uma criança, ou quando a mesma assiste a conversas onde  a temática se centraliza sobre a sua inteligência porque respondeu "assim e assado",  meus amigos sem margem para duvidas de que essa criança será e para todo o sempre o centro das atenções no seio da sua família e inteligente terá que ser á força mesmo que esse conceito não esteja correcto. Sabem o que acontece frequentemente a essas crianças? Eu respondo…Simplesmente humilham todas as outras como sendo essas mesmas o centro das atenções da superioridade criada pelo próprio seio familiar. Exemplo, uma criança para outra diz, talvez fruto de inveja ainda com tenra idade..." cegueta cantas como uma cabra a berrar", que inteligente! . Será que tais palavras foram proferidas por essa criança? Ou simplesmente ouviu em casa e comentou na escola na forma mais arrogante e provocatória?Que inteligencia sim senhor. Eis um erro social, que assistimos dia a dia sem que ninguém se preocupe com o amanhã. Mas quem sou eu para proferir tal percepção ideológica de professores, pais  e alunos?  Pois é…sou pai. E ser pai é sabermos agir, falar, estar , contradizer ou indagar no momento certo e hora certa, tal como todos os pais deveriam saber ensinar aos seus filhos que o agir, estar, sentir, dizer , indagar e respeitar, tem um momento certo e hora certa.

            Para terminar , quero ainda fazer uma ressalva, por mais que discordem é a minha forma de estar, pensar e agir. Nós os pais temos obrigatoriedade de educar os nossos filhos  e os professores têm a obrigatoriedade de os instruir.

 

            instruir = 1. Dar ou adquirir instrução. = educar

                                  2. Fornecer ou obter informações ou esclarecimentos. = esclarecer

                                  3. Ensinar a fazer algo.

 

 

                 educar -    1. Dar educação a.

                              2. Criar  

                              3. Cultivar

                              4. Adquirir os dotes físicos, morais e intelectuais                      que dá a educação.

 

                  inteligência 1. Conjunto de todas as faculdades intelectuais (memória, imaginação, juízo raciocínio, abstracção!abstração e concepção!conceção).

                                         2. Qualidade de inteligente.

                                      3. Compreensão fácil.
                                      4. Pessoa muito inteligente e erudita.
                                      5. Fig. Acordo, conluio.
                                      6. Harmonia.
                                      7. Habilidade.

               

 

                Daqui depreende-se uma coisa muito simples:

               - Os professores não podem querer dos pais , que instruam os filhos, com amontuados de trabalhos de casa , com o intuito dos pais lhes instruir, pois são os professores ,  pagos para o fazer.

               - Os pais não podem de forma alguma esperar dos professores que eduquem os seus filhos, de forma a que eles saibam estar, agir , falar e respeitar no momento certo e na hora certa, pois são estes que devem saber educar os seus filhos para tal.

 

                 E agora digam lá, que o souselalentejo, não é isento...

                 Sem mais.

 

                 Carlos Gil

 

          

PUBLICADO POR: carlosgil às 20:37
LINK DO POST | COMENTAR | Adicionar aos favoritos
13 comentários:
De anonima a 7 de Fevereiro de 2010 às 23:01
como é que se podem educar crianças quando os seus pais não têm educação? mas por raras vezes acontece que algumas dessas crianças até acabam por ser mais educadas que os seua pais.
nesta época não é muito fácil educar, é preciso muita mas muita paciência e compreensão para fazer tal.
eu como mãe educo os meus filhos da maneira que também fui educada, mas nesta época vai sendo um pouco dificil. mas como base ensino lhes a respeitarem para serem respeitados, e que tentem sempre mas sempre fazerem bem sem olharem a quem...entre um não acabar de outros conselhos. e se a educação não tiver lugar em casa , não terá em mais lado nenhum. por isso aqui deixo um conselho: quando tiverem de dizer não digam, não tenham receio, pais.


De Ana Margarida Pôla a 18 de Janeiro de 2010 às 17:46
Olá Gil.
Concordo plenamente.
As crianças quando nascem são como um pouco de barro á espera de serem moldados, claro que todos nascem com uma personalidade, mas que pode e deve ser correctamente ( nas medidas do possível ) ajustadas para a vida social que todos vivemos.
Mas ás vezes pergunto-me, uns educam correctamente ou fazem para isso outros nem tanto, e depois quem acaba por sofrer????
E o que é certo para uns não é para outros...
Saí do Cano com as minhas três filhas sozinhas e vim para bem longe, e mesmo perto de familiares é difícil educar, aqui também não foi fácil, não é fácil, e tenho consciência de que o que me espera também não seja .
Mas sempre ensinei ás minhas filhas que o respeito nós recebemos de quem respeitamos, e o valor das pessoas está no que são e não no que têm...Tem sido uma caminhada dura, além de que serem educadas por uma mãe apenas pode falhar muita coisa, mas tento dar-lhes a única coisa que posso, que é a educação e respeito perante elas e os outros.
Embora elas se deparem com muitas situações em que possam sofrer ou serem menos priveligiadas é o que eu sempre lhes digo " os alicerces estão lá, agora é só manter a personalidade consoante as tempestades"..
Um beijo enorme para Sousel.... 


De Eu a 15 de Janeiro de 2010 às 16:20
É para mim óbvio que todos temos uma parte de culpa nesta matéria.
É também óbvio que cada um de nós educa os seus filhos da forma como acha mais adequada ou melhor, e ainda bem que assim o é.
Agora, por favor não acho correcto que se venha para aqui dizer que a minha maneira de educar ou agir é melhor que a deste ou aquele, ou que com esta idade, se deve brincar com este ou com aquele brinquedo ou até com nenhum...
NEM TODOS TEMOS A MESMA OPINIÃO, E NINGUEM PODE DIZER QUE O QUE EU ACHO OU FAÇO É MELHOR QUE OS OUTROS. O QUE PARA UNS É BOM, PARA OUTROS NÃO.


De Ana Gil a 11 de Janeiro de 2010 às 21:48
Neste assunto de educação dos filhos, a verdade é que os pais parece que estão se despedindo do seu emprego como educadores dos seus filhos, a maior parte dos pais vai deixar os seus filhos na escola, como se deixa, e não me levem a mal, como se deixa um saco junto a um contentor. Talvez eu esteja a ser muito dura, mas a verdade é que devemos nos preocupar mais com os nossos filhos. também há pais que estão desejando que seus filhos cresçam rápido, ou seja que não tenham tempo para serem crianças. A minha filha tem 12 anos, é uma menina, ela brinca ainda com os seus brinquedos, há algum tempo contei isto a algumas mães que têm filhas da idade da minha, e elas ficaram como dizer escandalizadas, porque com 12 anos ainda a brincar?! Não as suas filhas já não brincam com seus brinquedos, as suas filhas já são muito mulheres!!! Eu fiquei chocada, porque afinal têm tanta pressa que cresçam?! Não compreendo, ora se o melhor tempo que temos é quando somo crianças, quando ainda vivemos no mundo da fantasia, quando tudo nos parece possível...então eu não compreendo a pressa dessas mães, deixem as vossas filhas/os brincarem, deixem que sejam crianças, só uma criança/jovem feliz e sonhador poderá ser uma bom adulto!!! Eu não tenho pressa que a minha filha seja uma MULHER!!! Não, tudo tem o seu tempo, o tempo dela chegará, e sabem porque eu não estou cansada da minha filha, nem nunca vou estar, eu quero é continuar ao lado dela, a ensinar-lhe a ser uma boa pessoa, que respeite tudo e todos e que tenha um coração do tamanho do Mundo!


De Tóbras a 8 de Janeiro de 2010 às 23:48
Caro GIL:
Não posso estar mais de acordo com o que é postado neste blog.
A continuarmos assim com a educação dos filhos daqui a pouco teremos um mundo cheio de camelos e bestas, porque é o que  nós pais deixamos que os nossos filhos sejam.
As crianças desde tenra idade fazem o que querem e lhes aptece e os pais não vão á mão disso,porque até é giro ter filhos reguilas e inteligentes,não se dá uma palmada no rabo na hora certa porque o menino(a) a seguir chora muito e faz birra, mais tarde virão as consequencias e já não há volta a dar ou talvez quem leva as palmadas somos nós pais.
Mas os culpados somos nós e não só, porque o proprio sistema familiar mudou muito,hoje os pais normalmente trabalham os dois,chegam a casa há trabalhos a fazer e quase não falam,depois lê-se o jornal,vê-se a novela e compra-se um computador ou uma consola para o puto jogar e estar caladinho até ir para a cama e é assim que se passa o tempo, não se brinca ou fala com as crianças que só falam linguagem de écram.
Quanto á educação escolar vamos de mal a pior,por muito que os professores tenham força de vontade(que as vezes tambem não há)não são capazes de vencer o sistema educativo.
É inademissivel que nestes tempos modernos onde se fazem 12º anos em dois meses para tapar o sol com a peneira,existam alunos do 10º ano do ensino dito normal numa frase de dez palavras tenham onze erros e continuem a passar de ano a português, para não falar de outras disciplinas, porque os professores não os podem chumbar para não estragar as estatisticas do governo.É TRISTE
Vou parar por aqui senão não há paginas que cheguem para dizer metade.
Acho que é de louvar estes blog`s para se ir falamdo(escrevendo)talvez algum dia as pessoas comecem a pensar diferente incluindo os nossos ministros.

Muito obrigado
 tóbras


De artur torres pereira a 8 de Janeiro de 2010 às 17:12
Se os membros dos Governos que temos tido , particularmente os do sector da Educação , tivessem lido estas observações , e tivessem agido em conformidade , se calhar nem o presente nem o futuro dos nossos jovens era tão cinzento - para não ir mais longe...
Parabéns pelo espirito crítico e pela pedagogia da exigência e da responsabilidade,na escola e fora dela !
A.Torres Pereira 
  


De Eu a 8 de Janeiro de 2010 às 12:54
Não entendi muito bem o que tem este post a ver com o "desabafos". Podes explicar melhor?


De carlosgil a 8 de Janeiro de 2010 às 17:51

Caro amigo (eu):
Não leio neste post qualquer referência ao " desabafos". Muito embora possa este mesmo ser um desabafo. No  post que V. Exa. referencia realmente eu  frisei que mais tarde sairia um post relacionado com os alunos também. Ei-lo. Resumindo caro(a) amigo(a), o que pretendo dizer é que as culpas sobre as problemáticas comportamentais entre alunos , professores e pais, se dividem. Neste artigo, não individualizo mas sim generalizo. Há que sabermos assumir, cada um a nossa culpa.


sem mais.


Carlos Gil




De Eu a 15 de Janeiro de 2010 às 15:48
Pois é, fiquei um pouco confusa.. Julguei que este post tivesse alguma coisa a ver com o "Desabafos" porque, como tu próprio disses-te foi nesse post que frisas-te que iria sair um para os pais. Daì a confusão. Estou esclarecida. Obrigada. 


De vencerei a 8 de Janeiro de 2010 às 10:33
Mas Gil cegueta é quem não quer ver, é claríssimo que neste domínio tal como nos outros todos sem excepção estamos a entrar num ponto de rotura , e quanto a mim num futuro próximo a sociedade vai chegar á conclusão que há muita coisa que tem que ter um travão e algumas voltar atrás, porque pela percentagem crescente de abstenção que se verifica no resultado das eleições legislativas, é um sinal claro que as pessoas cada vez mais se estão a aperceber que esta democracia, não presta.(é boa sim para os politicos , os falsos democratas,para quem está a receber vencimentos chorudos, e regalias até ao fim da vida, pelos seus préstimos cujos resultadoas estão à vista)
Se hoje temos ou não temos depende do prisma de cada um, esta educação, esta saude (SNS) porque os politicos que se dizem democráticos que a defendem vão para o privado, até tenho receio de falar na Justiça que é a coisa mais injusta que jamais conheço ,onde ficam impunes todos os que estão debaixo duma rede que os protege que são os partidos, ou os grandes, os tubarões que estão de mãos dadas  nas negociatas com os politicos democráticos. Não nos podemos esquecer que tudo o que está a acontecer é com pessoas democratas, só e só para o bem do povo. 


De Anónima :-) a 8 de Janeiro de 2010 às 00:10
Sr. Gil tenho seguido muito atentamente os post que coloca no seu bolg , e felicito-o porque tem feito um excelente trabalho. E não seria de admirar que mais uma vez tocasse num assunto que é do interesse publico. Digo-lhe que tenho uma opinião acerca deste assunto parecida com a sua. Tanto que estive por várias vezes a trabalhar com crianças, estando o último ano lectivo a trabalhar com elas. E digo-lhe que nunca na minha vida pensei que uma criança com 6,7,8,9 ou mesmo 10 anos me chegasse a faltar ao respeito e mesmo a responder-me mal. eu com esta idade se pensasse em responder mal a alguém com a idade que tenho hoje era imediatamente repreendida e se disse aos meus pais também era repreendida em casa. A educação que alguns pais ( a grande maioria) dão aos seus filhos é de lamentar, pois não respeitam ninguém. eu cheguei a ver crianças a responder mal aos próprios pais. Acho que neste momento há um grande conflito de interesses entre alguns professores e os pais, pois os professores querem que os pais ensinem os filhos em casa e os pais querem que os professores eduquem os seus filhos... nao estão o papéis trocados?
Mas gostava que me desse a sua opinião sobre uma questão: Acha normal uma criança com 10/11 anos comportar-se mal numa aula, o professor repreende-a tirando-lhe o telemóvel (pois era o motivo do mau comportamento) e as restantes crianças da turma dizerem que o professor é um ladrão que roubou o telemóvel à aluna. Diga-me acha isto normal?
Na minha opinião e como já trabalhei com crianças acho que no momento em que estamos antes de se educar os filhos tem que se começar por educar os pais. Pois são as crianças que hoje temos que serão os adultos de amanhã...... 


De carlosgil a 8 de Janeiro de 2010 às 00:25
OBVIAMENTE QUE NÃO É NORMAL. A MINHA FILHA TEM TELEMÓVEL E ESTÁ PROIBIDA POR MIM E PELA MÃE DE O LEVAR PARA A ESCOLA. E TEM TODA A RAZÃO SIM SENHOR. ESTÃO OS PAPEIS TROCADOS. OS PAIS DEVEM EDUCAR E OS PROFESSORES INSTRUIR. É O MEU PONTO DE VISTA.
Carlos Gil


De colega a 7 de Janeiro de 2010 às 21:09
quem fala assim não é gago, ou melhor, quem tecla assim sabe e tem toda a razão no que está a escrever.


colega


Comentar post

O souselalentejo agradece a todos aqueles que nos visitam diariamente e que queiram fazer deste uma fonte de informação, divulgação e opinião. Mais uma vez se informa que este blog é gratuito, e não tem como finalidade qualquer factor de ordem lucrativa. CONTACTOS: souselalentejo@sapo.pt TRADUZA ESTA PÁGINA PARA INGLÊS/IT TRANSLATES THIS BLOG FOR ENGLISH/TRADUISE CELUI-CI BLOG POUR ANGLAIS juegos gratis

Pesquisar neste blog

 

ARQUIVOS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


LINKS

Blog Protegido

EUROMILHÕES

Gil Souselalentejo Sousel

Cria o teu cartão de visita
http://profile.imeem.com/uepcVJ/playlist/_uCmDtBY/

blog protegido